Posts filed under ‘U. Tomar’

Taça do Ribatejo – Final

Glória do Ribatejo – Rio Maior – 1-1 (5-4 g.p.)

A equipa da Glória do Ribatejo conquistou a Taça do Ribatejo pela primeira vez na sua história.

É o seguinte o palmarés da prova:

Taça do Ribatejo

Junho 27, 2021 at 6:16 pm Deixe um comentário

O Pulsar do Campeonato – Taça do Ribatejo – 1/2 finais

(“O Templário”, 24.06.2021)

Rio Maior SC e Glória do Ribatejo garantiram – ambos no desempate da marca de grande penalidade, após as igualdades verificadas no termo dos noventa minutos – a presença numa inédita Final da Taça do Ribatejo, a disputar no Cartaxo, no próximo Domingo, pelas onze horas da manhã, com transmissão televisiva em directo no “Canal 11”.

Destaques – O Rio Maior SC, clube de formação ainda recente (completará cinco anos da sua fundação no início do próximo mês de Julho), 10.º classificado no campeonato, estreia-se na Final da “prova rainha” – sendo que, até agora, não conseguira ainda chegar além dos 1/8 de final, fase em que se quedara nos anos de 2019 e 2020.

Esta época – depois de ter começado por afastar o Amiense (4.º classificado do campeonato), ganhando em casa por 2-1, para, de seguida, golear o Alcanenense por 5-0, antes de, nos 1/4 de final, ir ganhar a Salvaterra de Magos, por 3-2, frente ao “tomba-gigantes” Salvaterrense (o qual eliminara o Cartaxo) – os riomaiorenses acabariam por ser mais eficazes no desempate, nas meias-finais, ante o U. Tomar, vencendo por 4-2, após o nulo registado no tempo regulamentar.

Tendo noção da valia do adversário, que surgiu reforçado no recomeço das competições, e mesmo actuando em terreno alheio, a formação tomarense assumiu, logo de início – como costuma fazer regra geral –, a iniciativa do jogo, instalando-se no meio campo contrário, registando predomínio em termos de posse de bola e lances de ataque, contudo, sem conseguir criar efectivas situações de perigo. A maior oportunidade de golo decorreria, aliás, de um alívio defeituoso de um defesa da casa, com a bola a embater no poste da baliza do Rio Maior.

Na segunda metade, os nabantinos apenas teriam outra ocasião para criar perigo, num contra-ataque, após Hélio Ocante ter recuperado a bola, mas a defensiva contrária conseguiria anular o lance. Já numa fase de menor controlo, com o jogo mais “partido”, a turma da casa teve também uma oportunidade soberana para marcar, porém o avançado local remataria ao lado.

A quinze minutos do final do desafio, os visitados ficaram reduzidos a dez unidades, mas os unionistas não conseguiriam tirar partido de tal superioridade, dadas as sucessivas interrupções de jogo e quebra de ritmo. O União não foi capaz de evitar a “armadilha dos penalties”, para a qual estaria já de sobreaviso, no que pareceu ser, quase sempre, o objectivo do Rio Maior.

Com duas defesas do guarda-redes da casa, nas duas primeiras tentativas, e pese embora Nuno Ribeiro ter também defendido um dos remates, a formação riomaiorense alcançava o “passaporte” para a ansiada Final, no que constitui uma grande desilusão para os tomarenses – eliminados sem ter perdido qualquer jogo, não tendo conseguido marcar na fase decisiva, após um “score” global de 15-1 –, no dia das anunciadas despedidas, precisamente do guardião Nuno Ribeiro e do capitão Nuno Rodrigues, após terem envergado a camisola rubro-negra durante várias temporadas, e que bem justificavam ter concluído a carreira em cenário mais festivo.

Na Glória do Ribatejo, o grupo local continua a fazer história: depois do 7.º lugar no campeonato, atinge agora uma formidável presença na Final da Taça, prova em que tem já tradição, com cinco presenças nos 1/4 de final e três nas meias-finais, nos últimos oito anos.

Esta temporada, depois de terem deixado pelo caminho o Benfica do Ribatejo (4-1), o Entroncamento AC (2-1) e, de forma sensacional, o Abrantes e Benfica (3-2), jogando sempre em terreno adverso, os homens da Glória registaram, em casa, uma igualdade a dois golos ante o Samora Correia, numa partida repleta de cambiantes no marcador, acabando por superiorizar-se no desempate da marca de grande penalidade, também por 4-2, como na outra meia-final.

II Divisão Distrital – Na série Norte o Espinheirense foi apenas a segunda equipa (após o Caxarias) a conseguir travar a marcha triunfal do vencedor da série, At. Ouriense – posição que garantira já, a meio da semana, em jogo de acerto de calendário, ao ganhar ao Fátima por 1-0, assegurando, pois, a consequente promoção à I Divisão Distrital –, empatando 3-3.

A Sul os dois primeiros golearam: o Benavente, em Alpiarça, ante o Águias, por 4-1, enquanto o Salvaterrense bateu o Marinhais, no “derby” do município, por categórico 4-0. O Forense, actual 3.º classificado, impôs-se no terreno do Benfica do Ribatejo, ganhando por 3-1.

Em função dos resultados desta penúltima ronda – assim como do registado na quarta-feira anterior, com a equipa benaventense a vencer a de Salvaterra de Magos por tangencial 3-2 –, o Benavente garantiu também já (seja como 1.º ou 2.º classificado) a subida ao escalão principal.

Por seu lado, o Salvaterrense necessitará ainda um ponto, nos dois jogos que tem a disputar, nos campos do Águias de Alpiarça (em atraso da 14.ª jornada) e do Forense (sendo que este clube terá ainda hipóteses matemáticas de poder eventualmente chegar ao 2.º lugar), para confirmar também a promoção – dado registarem ambos (Benavente e Salvaterrense) melhor média pontual que o Fátima, 2.º classificado da série Norte.

Antevisão – Na festa do futebol distrital, este ano a realizar no Cartaxo, com a Final da Taça do Ribatejo, a disputar entre Rio Maior SC e Glória do Ribatejo, parece difícil apontar um favorito, perspectivando-se um jogo bastante repartido, possivelmente a decidir nos pormenores.

O Rio Maior poderá eventualmente dispor, nesta fase, de superiores argumentos individuais, mas a turma da Glória já demonstrou, ao longo desta temporada, e por mais de uma ocasião, formar uma verdadeira equipa, capaz de surpreender até os mais poderosos – recorde-se que foi o único clube a derrotar o vencedor do campeonato, Coruchense, tendo, adicionalmente, eliminado o 2.º classificado, Abrantes e Benfica, nos 1/4 de final da Taça, em Abrantes!

Entretanto, não tendo a equipa de seniores do U. Tomar conseguido o apuramento para aquela final, fica a nota de realce para a equipa de “sub-21” do União, que, tendo vencido os seus grupos de qualificação nas duas fases deste Torneio distrital, se apurou para a respectiva Final, a disputar em Tomar, no Sábado, frente ao Salvaterrense ou à Ac. Santarém.

Na II Divisão Distrital, disputa-se (no Sábado) a 18.ª e derradeira jornada da prova: a Norte, apenas com um jogo agendado, já sem consequências de relevo a nível da pauta classificativa, caberá ao Vasco da Gama receber o Espinheirense.

A Sul (quase) tudo poderá ter ficado já decidido, na quarta-feira, caso o Salvaterrense tenha pontuado em Alpiarça; caso contrário, teríamos um aliciante embate Forense-Salvaterrense, que, nessa hipótese, seria decisivo para a definição do clube a promover. Por seu lado, o Benavente, que se desloca às Fazendas de Almeirim, terá em mira a possibilidade de confirmação do 1.º lugar final (dependente de o conjunto de Salvaterra não vencer os seus dois encontros).

(Artigo publicado no jornal “O Templário”, de 24 de Junho de 2021)

Junho 27, 2021 at 11:00 am Deixe um comentário

Campeonato Distrital da II Divisão – 18ª Jornada

Série A

Caxarias – Abrantes e Benfica B – 1-0 (05.06.2021)
At. Ouriense – Ortiga – (Cancelado)
Vasco Gama – Espinheirense – 2-1 (27.06.2021)
U. Atalaiense – Fátima – (Cancelado)
Tramagal – Aldeiense – (Cancelado)

1º At. Ouriense, 35; 2º Fátima, 28; 3º Espinheirense, 23; 4º Caxarias, 21; 5º Vasco Gama, 11; 6º Abrantes e Benfica B, 9

NotaAs equipas do Tramagal, Ortiga, Aldeiense e U. Atalaiense decidiram não retomar a competição, desistindo da prova. Na classificação são desconsiderados todos os jogos disputados pela Ortiga (dado não ter completado a 1.ª volta), assim como o jogo Caxarias-Tramagal, da 10.ª jornada (apenas sendo contados, para efeitos de classificação, os jogos realizados por Tramagal, Aldeiense e U. Atalaiense na 1.ª volta do campeonato).

O At. Ouriense, enquanto 1.º classificado, obteve a promoção à I Divisão Distrital.

Série B

Fazendense B – Benavente – 1-4
Marinhais – Águias Alpiarça – 5-1
Forense – Salvaterrense – 2-3
Rebocho – Benfica Ribatejo – 2-2
Samora Correia B – Porto Alto – 0-2

1º Benavente, 44; 2º Salvaterrense, 43; 3º Forense, 36; 4º Porto Alto, 31; 5º Marinhais, 30; 6º Benfica Ribatejo, 25; 7º Samora Correia B, 24; 8º Águias Alpiarça, 14; 9º Fazendense B, 10; 10º Rebocho, 4

O Benavente e o Salvaterrense (dado ter obtido melhor média pontual por jogo do que o 2.º classificado da Série A, Fátima) obtiveram a promoção à I Divisão Distrital.

Junho 26, 2021 at 9:41 pm Deixe um comentário

Campeonato Distrital da II Divisão – 17ª Jornada

Série A

Abrantes e Benfica B – Tramagal – (Cancelado)
Ortiga – Caxarias – (Cancelado)
Espinheirense – At. Ouriense – 3-3
Fátima – Vasco Gama – 3-0
Aldeiense – U. Atalaiense – (Cancelado)

1º At. Ouriense, 35; 2º Fátima, 28; 3º Espinheirense, 23; 4º Caxarias, 18; 5º Abrantes e Benfica B, 9; 6º Vasco Gama, 8

NotaAs equipas do Tramagal, Ortiga, Aldeiense e U. Atalaiense decidiram não retomar a competição, desistindo da prova. Na classificação são desconsiderados todos os jogos disputados pela Ortiga (dado não ter completado a 1.ª volta), assim como o jogo Caxarias-Tramagal, da 10.ª jornada (apenas sendo contados, para efeitos de classificação, os jogos realizados por Tramagal, Aldeiense e U. Atalaiense na 1.ª volta do campeonato).

O At. Ouriense garantiu já – desde a jornada anterior – o 1.º lugar e consequente promoção à I Divisão Distrital.

Série B

Samora Correia B – Fazendense B – 3-1
Águias Alpiarça – Benavente – 1-4
Salvaterrense – Marinhais – 4-0
Benfica Ribatejo – Forense – 1-3
Rebocho – Porto Alto – 1-5

1º Benavente, 41; 2º Salvaterrense, 40; 3º Forense, 36; 4º Porto Alto, 28; 5º Marinhais, 27; 6º Samora Correia B e Benfica Ribatejo, 24; 8º Águias Alpiarça, 14; 9º Fazendense B, 10; 10º Rebocho, 3

O Benavente, seja como 1.º ou 2.º classificado, garantiu já também a promoção à I Divisão Distrital. O Salvaterrense necessita um ponto, nos dois jogos que tem a disputar, nos campos do Águias Alpiarça (em atraso da 14.ª jornada) e do Forense, para confirmar também a subida ao escalão principal.

Junho 20, 2021 at 9:43 pm Deixe um comentário

Taça do Ribatejo – 1/2 finais

Rio Maior SC – U. Tomar – 0-0 (4-2 g.p.)
Glória do Ribatejo – Samora Correia – 2-2 (4-2 g.p.)

Rio Maior SC e Glória do Ribatejo garantiram, ambos no desempate da marca de grande penalidade, a presença numa inédita Final da Taça do Ribatejo, a disputar no próximo Domingo, pelas 11 horas da manhã, no Cartaxo, com transmissão televisiva em directo no “Canal 11”.

Junho 20, 2021 at 9:40 pm Deixe um comentário

O Pulsar do Campeonato – Taça do Ribatejo – 1/4 de final

(“O Templário”, 17.06.2021)

A Taça do Ribatejo entra também na sua fase decisiva, tendo garantido o apuramento para as meias-finais da prova – a disputar já no próximo Domingo – os clubes classificados no 6.º (U. Tomar), 7.º (Glória do Ribatejo), 9.º (Samora Correia) e 10.º lugares (Rio Maior) do campeonato distrital da I Divisão, não subsistindo, portanto, qualquer representante do 2.º escalão, após a eliminação de Salvaterrense e Fátima.

Dos cinco primeiros da divisão principal, o vencedor (Coruchense) desistira da competição; o 3.º (Mação) tinha sido eliminado nos 1/8 de final pelo 2.º; o 4.º (Amiense) fora afastado pelo Rio Maior logo na primeira eliminatória; e o 5.º (Cartaxo) caíra, também na ronda precedente, perante um primeiro “tomba-gigantes”, o Salvaterrense. Agora, nos 1/4 de final, foi a vez de o 2.º classificado do campeonato (Abrantes e Benfica) ficar também arredado desta competição.

Destaques – O destaque maior vai, pois, para a sensacional vitória (3-2) da equipa da Glória do Ribatejo em Abrantes, a assumir-se também como “tomba-gigante”, afastando, com grande surpresa, o que seria um dos maiores candidatos à conquista do troféu, o Abrantes e Benfica.

Mais, a turma da Glória – com tradição na Taça, tendo marcado presença nos 1/4 de final em cinco ocasiões nos últimos oito anos (atingindo as meias-finais pela terceira vez, depois de ter alcançado tal fase já em 2014 e 2015) – teve sempre a liderança do marcador, começando por abrir a contagem logo aos oito minutos, chegando depois, ainda antes do intervalo, ao 2-1, para, já, à entrada dos dez minutos finais, se colocar em vantagem pela terceira vez (a qual seria, então, definitiva). Um brilhante desempenho, a somar à excelente campanha realizada também no campeonato, por um grupo que “promete” não ficar por aqui…

Por seu lado, o Rio Maior – que surgiu, na retoma das competições, após a paragem de quase quatro meses, reforçado e com grande pujança, tendo somado seis vitórias nos sete jogos entretanto disputados, aplicando mesmo três goleadas – colocou ponto final no “sonho” do Salvaterrense, vencendo em Salvaterra de Magos, também pela marca de 3-2 (neste caso, depois de, por duas vezes, ter chegado a dispor de vantagem de dois golos, a 2-0 e 3-1, apenas no derradeiro minuto tendo sofrido o tento que estabeleceu a diferença mínima).

Os outros dois semi-finalistas repetem a presença nas meias-finais da Taça, que haviam registado já na época passada; por curiosidade, U. Tomar e Samora Correia tinham-se defrontado então, com triunfo dos tomarenses em Samora, não tendo sido já disputada a 2.ª mão, a qual estava agendada para 15 de Março de 2020, precisamente o dia em que, devido à declaração da pandemia, se daria a (que viria a ser definitiva) suspensão das competições.

O U. Tomar, defrontando, pela terceira vez nas três eliminatórias disputadas na presente edição da prova, uma equipa do 2.º escalão, manteve a consistência nos resultados, averbando a sua terceira goleada: depois do triunfo por 4-0 em Marinhais e da vitória por 6-1 no Espinheiro, goleou agora, por 5-0, o Fátima, somando, portanto, um retumbante “score” agregado de 15-1!

Depois da “derrapagem” verificada nas três últimas rondas do campeonato, a turma unionista encarou com grande seriedade este desafio da Taça, respeitando o adversário, tendo entrado praticamente a ganhar (inaugurou o marcador logo aos três minutos), ampliando para 2-0 à passagem do quarto de hora, resolvendo a eliminatória em 25 minutos, com o terceiro golo apontado. Na segunda metade, o “placard” seria ainda, com naturalidade, ampliado até aos 5-0 (golo marcado a cerca de vinte minutos do fim), antes de alguma descompressão final.

Já o Samora Correia (com três presenças nos 1/4 de final nos últimos quatro anos, apenas tendo falhado tal fase em 2019) voltou a apurar-se para as meias-finais, também de forma algo surpreendente, afastando a equipa com melhor palmarés na competição (quatro troféus conquistados como vencedor da Taça do Ribatejo), o Fazendense (também semi-finalista no ano passado), beneficiando da superior eficácia demonstrada no desempate da marca de grande penalidade, isto depois de ter mantido o nulo até final do tempo regulamentar (90 minutos).

II Divisão Distrital – A Norte jogou-se um único desafio, entre Caxarias e Espinheirense, com o empate a duas bolas possivelmente a definir a classificação final dos dois clubes: aliás, o Caxarias concluiu já a sua participação no campeonato, que termina no 4.º posto; por seu lado, o Espinheirense dificilmente conseguirá melhor que um inglório 3.º lugar.

Na série Sul realça-se a goleada (5-1) imposta pelo Marinhais ao Benfica do Ribatejo, assim como, por outro lado, o tangencial triunfo (1-0) do Forense ante o Porto Alto, a permitir ainda uma ténue réstia de esperança em poder ainda imiscuir-se na luta pelos dois primeiros lugares.

Antevisão – Na Taça do Ribatejo, as meias-finais, agendadas para dia 20, colocam frente-a-frente, por um lado, Rio Maior e U. Tomar, e, por outro, Glória do Ribatejo e Samora Correia. Trata-se de dois embates que se antevêem repartidos, em que qualquer desfecho que venha a verificar-se não deverá traduzir grande surpresa.

Em Rio Maior os tomarenses – que disputam as meias-finais da competição pela terceira vez nos quatro anos mais recentes – poderiam ter, pelo potencial que lhes é reconhecido, algum favoritismo (anotando-se que as duas equipas empataram, no jogo do campeonato, em Outubro do ano passado), mas terão de contar com a forte oposição de uma muito revigorada equipa local, a beneficiar também desse factor casa, pelo que os unionistas terão de estar ao melhor nível para voltar a atingir a desejada Final, este ano agendada, para dia 27, no Cartaxo.

Na Glória, num confronto entre duas equipas que, na eliminatória precedente, afastaram dois “candidatos”, não haverá propriamente um “favorito” declarado – sendo que os visitados ganharam, por tangencial 1-0, no desafio a contar para o campeonato –, mas a expectativa é de que o conjunto da casa possa eventualmente culminar com uma histórica presença na Final da Taça uma temporada já memorável.

Na II Divisão estavam agendados para esta quarta-feira, 16, os decisivos embates (em atraso da 16.ª jornada) entre os dois primeiros classificados de ambas as séries, respectivamente, At. Ouriense-Fátima e Benavente-Salvaterrense, nos quais poderão, porventura, ter ficado já praticamente definidas as posições finais.

Para Domingo estão previstas as partidas da penúltima ronda, com o At. Ouriense a deslocar-se ao Espinheiro, para defrontar o 3.º classificado da série Norte, Espinheirense; destacando-se ainda, a Sul, o “derby” Salvaterrense-Marinhais.

(Artigo publicado no jornal “O Templário”, de 17 de Junho de 2021)

Junho 20, 2021 at 11:00 am Deixe um comentário

Taça do Ribatejo – 1/4 de final

U. Tomar – Fátima – 5-0
Abrantes e Benfica – Glória do Ribatejo – 2-3
Salvaterrense – Rio Maior SC – 2-3
Fazendense – Samora Correia – 0-0 (2-3 g.p.)

O alinhamento dos jogos das meias-finais, agendados para o próximo dia 20 de Junho, o qual fora já previamente sorteado, é o seguinte:

Rio Maior SC – U. Tomar
Glória do Ribatejo – Samora Correia

Junho 13, 2021 at 10:34 pm Deixe um comentário

Campeonato Distrital da II Divisão – 16ª Jornada

Série A

Abrantes e Benfica B – Ortiga – (Cancelado)
Caxarias – Espinheirense – 2-2
At. Ouriense – Fátima – 1-0 (16.06.2021)
Vasco Gama – Aldeiense – (Cancelado)
U. Atalaiense – Tramagal – (Cancelado)

1º At. Ouriense, 34; 2º Fátima, 25; 3º Espinheirense, 22; 4º Caxarias, 18; 5º Abrantes e Benfica B, 9; 6º Vasco Gama, 8

Nota – As equipas do Tramagal, Ortiga, Aldeiense e U. Atalaiense decidiram não retomar a competição, desistindo da prova. Na classificação são desconsiderados todos os jogos disputados pela Ortiga (dado não ter completado a 1.ª volta), assim como o jogo Caxarias-Tramagal, da 10.ª jornada (apenas sendo contados, para efeitos de classificação, os jogos realizados por Tramagal, Aldeiense e U. Atalaiense na 1.ª volta do campeonato).

Ainda com duas jornadas por disputar o At. Ouriense garantiu já o 1.º lugar e consequente promoção à I Divisão Distrital.

Série B

Fazendense B – Águias Alpiarça – 1-3 (30.06.2021)
Benavente – Salvaterrense – 3-2 (16.06.2021)
Marinhais – Benfica Ribatejo – 5-1
Forense – Porto Alto – 1-0
Rebocho – Samora Correia B – 0-5

1º Benavente, 38; 2º Salvaterrense, 37; 3º Forense, 33; 4º Marinhais, 27; 5º Porto Alto, 25; 6º Benfica Ribatejo, 24; 7º Samora Correia B, 21; 8º Águias Alpiarça, 14; 9º Fazendense B, 10; 10º Rebocho, 3

Junho 13, 2021 at 10:33 pm Deixe um comentário

Campeonato Distrital da II Divisão – 15ª Jornada

Série A

Tramagal – Ortiga – (Cancelado)
Espinheirense – Abrantes e Benfica B – 4-1
Fátima – Caxarias – 3-1
Aldeiense – At. Ouriense – (Cancelado)
U. Atalaiense – Vasco Gama – (Cancelado)

1º At. Ouriense, 31; 2º Fátima, 25; 3º Espinheirense, 21; 4º Caxarias, 17; 5º Abrantes e Benfica B, 9; 6º Vasco Gama, 8

NotaAs equipas do Tramagal, Ortiga, Aldeiense e U. Atalaiense decidiram não retomar a competição, desistindo da prova. Na classificação são desconsiderados todos os jogos disputados pela Ortiga (dado não ter completado a 1.ª volta), assim como o jogo Caxarias-Tramagal, da 10.ª jornada (apenas sendo contados, para efeitos de classificação, os jogos realizados por Tramagal, Aldeiense e U. Atalaiense na 1.ª volta do campeonato).

Série B

Samora Correia B – Águias Alpiarça – 4-3 (03.06.2021)
Salvaterrense – Fazendense B – 10-0
Benfica Ribatejo – Benavente – 1-1
Porto Alto – Marinhais – 0-0 (09.06.2021)
Rebocho – Forense – 0-3

1º Salvaterrense, 37; 2º Benavente, 35; 3º Forense, 30; 4º Porto Alto, 25; 5º Marinhais e Benfica Ribatejo, 24; 7º Samora Correia B, 18; 8º Águias Alpiarça, 11; 9º Fazendense B, 10; 10º Rebocho, 3

Junho 10, 2021 at 10:38 pm Deixe um comentário

O Pulsar do Campeonato – 15ª Jornada

(“O Templário”, 10.06.2021)

É verdade que o Coruchense fez um campeonato “à parte” (apenas tendo cedido um empate, ante o Mação, e sofrido uma única derrota, na Glória do Ribatejo, nos 15 jogos disputados), sagrando-se destacadíssimo vencedor da prova, assim como o Abrantes e Benfica realizou muito boa campanha (tendo assegurado já, com o 2.º lugar obtido, a presença na próxima edição da Taça de Portugal – sendo que está, igualmente, bem encaminhado na Taça do Ribatejo), mas o Amiense, com uma notável “recta final”, ascendendo a um absolutamente inesperado 4.º lugar, tal como o emblema da Glória, com uma excelente 7.ª posição (em igualdade pontual com o 6.º, U. Tomar), merecem especial realce no balanço global do Distrital da I Divisão desta atípica temporada.

Destaques – O primeiro destaque da 15.ª e última ronda do campeonato vai precisamente para um impressionante desempenho do Amiense, que, muito motivado pela perspectiva de alcançar um sensacional 4.º lugar, conseguiu, já nos derradeiros dez minutos, uma então já inesperada reviravolta, acabando por vencer o Cartaxo, por 3-2, relegando assim o adversário para o 5.º posto.

Por seu lado, a turma da Glória do Ribatejo culminou de forma exemplar uma admirável época (está, também, ainda em prova na Taça do Ribatejo) – tendo sido, conforme referido, a única a conseguir derrotar o vencedor da competição –, impondo um empate a dois golos na recepção ao Mação (3.º classificado), terminando o campeonato apenas com três derrotas, fixando-se num brilhante 7.º lugar na tabela final, a par do 6.º classificado, U. Tomar.

Em jogo claramente de “fim de estação”, ainda assim o Abrantes e Benfica fez questão de não deixar os seus créditos por mãos alheias, goleando por robusta marca de 7-0 o já despromovido Moçarriense (penúltimo classificado), confirmando, pois, a posição de vice-líder.

Digno de realce foi também o triunfo averbado pelo Torres Novas, frente ao U. Tomar, impondo-se por 3-2 num desafio de características incomuns. Quando, aos 9 minutos, os tomarenses, chegaram à vantagem de 2-0, poucos poderiam adivinhar a reviravolta que viria a suceder, que premeia a abnegação com que os torrejanos encararam esta partida (o que, contudo, não lhes permitiu melhor que o 11.º lugar final, não obstante em igualdade pontual com o 9.º e o 10.º).

De forma algo “inexplicável”, tão depressa como obtivera tal superioridade – tendo, adicionalmente, desperdiçado mais uma “mão cheia” de ocasiões para ampliar a contagem – a equipa nabantina a deixaria escapar, também num período de apenas cerca de cinco minutos, após a meia hora de jogo. Para, na segunda metade, pese embora a insistência, os unionistas não só não conseguirem voltar a transpor com sucesso a barreira defensiva contrária, como, expondo-se ao risco, acabarem por sofrer o decisivo contra-golpe – não tendo tido já, nos cerca de 20 minutos que se jogaram ainda até final, o necessário “sangue frio” para ripostar a tal contrariedade.

Um desfecho inesperado, a deixar uma imagem bastante negativa neste fecho de campeonato – três desaires sucessivos nas três últimas jornadas, provocando uma queda do 3.º ao 6.º lugar, posição muito aquém das expectativas para esta época (o União teria sido 5.º classificado caso tivesse vencido) –, a qual urge procurar rectificar na Taça do Ribatejo.

Surpresa – A “surpresa” da jornada registou-se no Entroncamento, onde a equipa local, desanimada pela confirmação da despromoção, e num encontro do qual sabia não poder resultar já qualquer alteração na sua classificação (14.º) não conseguiu melhor que a igualdade (2-2) ante o “lanterna vermelha”, Riachense, que, nos onze jogos anteriores, sofrera dez derrotas (apenas tendo obtido um empate, já no final de 2020, ante o Moçarriense). Por curiosidade, o grupo dos Riachos conseguiu, neste campeonato, uma única vitória, sobre o 4.º classificado, Amiense.

Confirmações – Nas restantes três partidas, confirmou-se o favoritismo de (i) Coruchense (triunfando por 3-1 em Samora Correia), (ii) Fazendense (minimizando o decepcionante desempenho no campeonato, recuperando até ao 8.º lugar, ao bater por 4-1 uma equipa de Ferreira do Zêzere, que surgiu, nesta retoma da competição, claramente em esforço, denotando grandes dificuldades, mas tendo conseguido, ainda assim, ganhar a sua “final”, ante o Entroncamento AC, garantindo a permanência na I Divisão – isto, após a A. F. Santarém ter confirmado que a insolvente SAD do Fátima não poderia inscrever-se nas provas Distritais), e (iii) de Rio Maior (1-0, ante o Alcanenense), com os riomaiorenses, ao invés, a evidenciar, neste final de temporada, uma surpreendente vitalidade, com três vitórias em quatro jogos, o que lhes proporcionou subir até ao 10.º lugar.

Uma palavra final para o incontestável mérito do Coruchense na conquista do 1.º lugar: para além dos 10 pontos de vantagem sobre o mais “próximo” rival, goleou o vice-líder, Abrantes e Benfica, por 5-1; o Cartaxo (5.º), por 7-1; tendo vencido, nomeadamente, em Amiais de Baixo (4.º), Tomar (6.º), Fazendas de Almeirim (8.º – também com goleada, por 4-0) e Samora Correia (9.º).

II Divisão Distrital – Na série Norte, em jogo em atraso, o At. Ouriense derrotou o Espinheirense por 3-0, bastando-lhe apenas mais um ponto para confirmar o 1.º lugar e consequente promoção

A Sul, o Salvaterrense viu o seu jogo com o Águias de Alpiarça adiado, o que possibilitou ao Benavente (vencedor do Porto Alto, por tangencial 1-0) retomar, à condição, a liderança – mas, mais importante, somou pontos que poderão eventualmente, no cenário menos favorável, vir a revelar-se determinantes na definição do que virá a ser o melhor dos 2.º classificados das duas séries, o qual será também promovido à I Divisão Distrital.

Antevisão – Para o próximo fim-de-semana estão agendados os jogos dos 1/4 de final da Taça do Ribatejo, cujo alinhamento, porém, depende ainda da conclusão da eliminatória precedente, com a disputa, prevista para esta quinta-feira, do Fazendense-Riachense (favoritismo total para os visitados), Rio Maior-Alcanenense (com a curiosidade de reeditarem o confronto de há apenas quatro dias) e Entroncamento-Glória do Ribatejo.

Pelo que o único embate já com ambos os adversários definidos, é o U. Tomar-Fátima, com os tomarenses – depois de terem goleado, nas eliminatórias anteriores, em Marinhais e no Espinheiro – a receberem outra equipa do escalão secundário, 2.º classificado da série Norte (que se estreia nesta edição da Taça), necessitando, pois, confirmar dentro de campo o seu natural favoritismo.

Na II Divisão Distrital (em que se disputa, também nesta quinta-feira, a 15.ª jornada, e, no Domingo, a 16.ª e antepenúltima ronda), estavam agendados para aquele mesmo dia (13 de Junho), por coincidência, os embates entre 1.º e 2.º classificados de ambas as séries (At. Ouriense-Fátima e o decisivo Benavente-Salvaterrense), os quais deverão, assim, ter de ser adiados; destacam-se ainda, a Norte, o Fátima-Caxarias (já esta quinta-feira) e o Caxarias-Espinheirense (no Domingo); e, na série Sul, também neste dia 10, o Benfica do Ribatejo-Benavente.

(Artigo publicado no jornal “O Templário”, de 10 de Junho de 2021)

Junho 10, 2021 at 11:00 am Deixe um comentário

Artigos Mais Antigos


Autor – Contacto

Destaques

União de Tomar - Recolha de dados históricos
Sporting de Tomar - Recolha de dados históricos

Calendário

Julho 2021
S T Q Q S S D
 1234
567891011
12131415161718
19202122232425
262728293031  

Arquivos

Categorias