O Pulsar do Campeonato – 11ª Jornada

Dezembro 16, 2018 at 12:00 pm Deixe um comentário

O pulsar do campeonato - 2018-19 - 11jornada

(“O Templário”, 13.12.2018)

Permita-se-me começar hoje com um breve intróito pessoal, assinalando mais um “número redondo”: desta feita, as 200 edições deste “Pulsar do Campeonato”, desde o artigo inaugural desta contínua série, publicado em “O Templário” a 8 de Novembro de 2012, já lá vão seis anos.

A nível da I Divisão Distrital, quem “soma e segue” é o Amiense, que, com o seu quinto triunfo consecutivo, estabeleceu um novo “record” no presente campeonato, tendo aproveitado para se aproximar ainda mais da liderança, agora somente a três pontos.

Destaques – O primeiro destaque vai, não obstante, para o embate de maior cartaz da 11.ª jornada, que colocava frente-a-frente o comandante, Coruchense – que, por seu lado, tinha também em curso uma série de quatro vitórias sucessivas, tendo, paralelamente, vencido todos os cinco desafios até então disputados em terreno alheio –, ao auto-anunciado candidato ao título, Cartaxo, o qual se saldou por uma igualdade a um golo, no que terá constituído a derradeira oportunidade dos cartaxeiros poderem reentrar na disputa do 1.º lugar, de que, por agora, quando nos aproximamos já do final da primeira metade da competição, estão a distantes (e virtualmente inacessíveis) 11 pontos.

E isto, porque, não é apenas a turma do Sorraia que continua “demasiado longe”: também o Amiense (vencedor, por 2-1, na recepção ao Samora Correia) e U. Santarém, com o triunfo averbado ao “cair do pano”, em Marinhais, mercê de um solitário tento, continuam na peugada do líder, ambos com oito pontos a mais que o Cartaxo (apenas 6.º classificado).

Numa ronda que oferecia alguns perigos iminentes para os grupos da frente, também o U. Almeirim – igualmente com um trajecto quase irrepreensível, tendo ganho seis dos últimos sete jogos realizados – se saiu bem, com uma tão difícil quão preciosa vitória (2-1) em Torres Novas, que lhe proporciona poder aspirar a colar-se ao guia, caso vença também a partida que tem ainda em atraso, da 8.ª jornada, na qual lhe cabe receber a visita do At. Ouriense.

Por fim, de realçar ainda o empolgante desafio protagonizado por União de Tomar e Ferreira do Zêzere, com o desfecho final a fixar-se num empate a três bolas, depois de se ter chegado ao final de uma frenética primeira parte já com cinco tentos apontados. A qualidade do futebol praticado poderá não ter sido a melhor, com algumas falhas a assinalar de parte a parte, mas a emoção e incerteza no marcador final foram marca saliente, assim como a intensidade de jogo na primeira metade do encontro.

Os ferreirenses entraram praticamente a ganhar, com o golo inaugural marcado logo aos quatro minutos; não obstante, com uma excelente resposta – em que se destaca a propensão goleadora do novo reforço unionista, Rafael Santana, autor dos três tentos da sua equipa – o União, não só operaria a reviravolta no marcador, como, inclusivamente, chegaria a vantagem de 3-1, em apenas cerca de meia hora. Já a findar o primeiro tempo, o Ferreira do Zêzere reduziria para 2-3, reentrando na discussão do resultado. Na etapa complementar, os tomarenses procuraram controlar o jogo, segurando a vantagem e espreitando a possibilidade de desferir o golpe final. Porém, e já depois de Nuno Ribeiro ter defendido uma grande penalidade, os ferreirenses acabariam mesmo por restabelecer o empate, a menos de dez minutos do final da partida.

Surpresas – Com as formações do fundo da tabela a ter de “fazer pela vida”, procurando somar pontos, em ordem a poderem ainda libertar-se da ameaça de despromoção, assinalam-se duas surpresas, correspondendo a outras tantas igualdades alcançadas em reduto alheio – numa ronda com um total de quatro empates –, perante adversários mais capacitados.

Por um lado, o Alcanenense, na deslocação às Fazendas de Almeirim, chegou mesmo a dispor de vantagem no marcador, tendo acabado por ceder a igualdade a dois golos ao Fazendense.

Mais surpreendente ainda terá sido o empate (1-1), registado pelo grupo da Glória do Ribatejo em Ourém, ante um At. Ouriense a atravessar período menos positivo (obteve uma única vitória nos cinco últimos jogos), porventura ainda algo afectado pela goleada sofrida em Santarém.

Em qualquer caso, e pese embora os positivos sinais de inconformismo revelados, foi magro o pecúlio angariado pelos visitantes, mantendo-se o quarteto da cauda da tabela com um atraso entre cinco e sete pontos em relação ao 10.º classificado (Ferreira do Zêzere).

II Divisão Distrital – A Norte, a principal nota de realce vai para a goleada (4-0) do Riachense no terreno do Aldeiense, como que querendo dar “prova de vida”, após a mudança no comando técnico, ficando (a par do Ortiga, derrotado em Abrantes) a um ponto do 3.º lugar, ocupado, de forma sensacional – quando está já concluída a primeira volta da prova – pela equipa “B” do União de Tomar, vencedora de um velho clássico do futebol distrital, no Tramagal (1-0).

Abrantes e Benfica (que soma triunfos em todos os oito jogos já finalizados) e Pego começam a ter já praticamente “à vista” o apuramento para a fase final, de apuramento de Campeão.

A Sul, com o Rio Maior a folgar, Moçarriense (com vitória caseira, por 2-0, ante o Espinheirense) e Forense (ganhando por 1-0 em Benavente) aproveitaram para se destacar na frente da prova (tendo ainda os riomaiorenses um jogo em atraso). O Pontével (goleando por 3-0 em Salvaterra de Magos) mantém ainda aspirações a poder chegar aos três primeiros.

Campeonato de Portugal – Após mais uma jornada, subsistem os motivos de preocupação: o Fátima, batido em casa pelo B. C. Branco (1-2), depois de ter começado por marcar, baixou ao 10.º lugar, e, pior, viu reduzir-se para curta margem de três pontos a diferença que o separa da “linha de água”; por seu lado, o Mação, que, finalmente, se reencontrou com as vitórias, tendo ido ganhar à Sertã, também por 2-1, mantém a última posição, agora a sete pontos de tal linha.

Antevisão – No principal escalão do futebol distrital, teremos outro aliciante “tira-teimas”, com uma “embalada” equipa do Amiense a receber o guia, Coruchense, podendo, em caso de vitória da turma de Amiais de Baixo, igualar o seu oponente no comando da pauta classificativa. Mas o calendário reservou-nos uma jornada repleta de interesse, com diversos outros “pratos cheios”: U. Almeirim-Cartaxo ou U. Santarém-U. Tomar serão apenas dois dos principais exemplos.

Na II Divisão Distrital, destacam-se o Tramagal-Riachense e o Moçarriense-Rio Maior.

No Campeonato de Portugal, já a completar a sua primeira volta, o Fátima desloca-se a Loures (último clube acima da “linha de água”), cabendo ao Mação receber o Santa Iria (imediatamente abaixo daquela linha, pese embora com o mesmo número de pontos do emblema de Loures).

(Artigo publicado no jornal “O Templário”, de 13 de Dezembro de 2018)

Anúncios

Entry filed under: U. Tomar.

Campeonato Nacional Hóquei em Patins – I Divisão – 10ª Jornada Campeonatos Distritais Futebol – 12ª Jornada / 10ª Jornada

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

Trackback this post  |  Subscribe to the comments via RSS Feed


Autor – Contacto

Destaques

União de Tomar - Recolha de dados históricos

Calendário

Dezembro 2018
S T Q Q S S D
« Nov   Jan »
 12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930
31  

Arquivos

Categorias


%d bloggers like this: