O Pulsar do Campeonato – 1.ª jornada

Setembro 20, 2015 at 11:00 am Deixe um comentário

Pulsar - 1

(“O Templário”, 17.09.2015)

Projecção – Teve início no passado fim-de-semana mais uma edição do Campeonato Distrital da I Divisão da Associação de Futebol de Santarém, esta época com acrescida expectativa de competitividade, dado o lote de equipas que se apetrecharam em ordem à disputa dos primeiros lugares, de que necessariamente sobressai o Fátima.

Efectivamente, numa prova que abarca nada menos de três clubes despromovidos do Campeonato Nacional de Seniores (Fátima, At. Ouriense e Riachense), foram os fatimenses – os quais vêem agora interrompida uma longa série de 31 temporadas nos Nacionais, culminada com a participação na II Liga, escalão de que se despediram apenas há quatro anos – que, no decurso da pré-época, maior esforço de investimento realizaram, suportado por investidores árabes (Arábia Saudita), no âmbito de um projecto que visa, no imediato, sob a batuta do treinador tomarense João Henriques, o regresso aos Nacionais, tendo a ambição, no horizonte de cinco anos, de poder atingir a I Liga!

Pelo que, “a priori”, terá o Fátima de ser colocado num patamar diferente, em relação aos restantes concorrentes, posicionamento a confirmar ou infirmar em função da evolução do campeonato, dentro de campo, semana a semana, dependendo principalmente da forma como o seu plantel se adaptar às especificidades deste escalão.

Nesta análise teórica, “no papel”, num plano imediatamente seguinte, perfila-se um conjunto de outros concorrentes, principais candidatos aos lugares de topo, encabeçado pelo Fazendense (bastante reforçado com jogadores que, na época anterior, se sagraram campeões distritais ao serviço do Coruchense), Mação (também com reforços de qualidade), Cartaxo, Torres Novas, Riachense (sempre um forte concorrente, aureolado com diversos títulos distritais num passado bem recente, em 2009, 2010 e 2013) e União de Tomar (na sua condição de vice-campeão, dependente porém da concretização de esperados reforços, que aguardam “luz verde” para, viajando do Brasil, se juntarem ao grupo).

E, para além do referido leque de sete clubes, que serão naturais candidatos a um lugar no pódio – no final só haverá lugar para três… – surgem outras equipas apetrechadas com bons valores, e que poderão intrometer-se na disputa por um lugar na primeira metade da tabela, nomeadamente os Empregados do Comércio, Amiense e U. Almeirim. Para além dos recém-promovidos Moçarriense e U. Abrantina, as maiores incógnitas serão porventura o despromovido At. Ouriense e o Rio Maior, que, até bastante tarde, teve dificuldade em definir o seu plantel.

Destaques – Postos os considerandos anteriores, após o pontapé de saída neste campeonato, os primeiros destaques vão para o empate imposto pelo Cartaxo na recepção ao Fátima, a uma bola (com os cartaxenses a obter o tento da igualdade mesmo a findar o desafio); e para o triunfo do U. Almeirim (3-1), no derby local, na recepção ao Fazendense – turma que constituirá porventura a maior ameaça ao favoritismo fatimense –, com os unionistas almeirinenses a revelarem bons argumentos, que os poderão vir a alcandorar a posição de relevo. Para começar, fica o registo da curiosidade de nenhum dos dois principais candidatos ter conseguido vencer.

Surpresas – Mas, para além dos desfechos anteriores, as principais surpresas da ronda foram a vitória dos Empregados do Comércio em Riachos (1-0), com o grupo escalabitano a pretender começar, desde logo, a demonstrar que mantém o bom nível evidenciado na temporada anterior, sempre temível, curiosamente ainda mais quando actua fora do seu reduto; e o inesperado triunfo do Rio Maior (1-0) no sempre difícil terreno de Amiais de Baixo, frente a uma equipa do Amiense, eventualmente ainda massacrada pelo impacto do desnivelado marcador registado na partida da Taça de Portugal (0-9).

Confirmações – Nesta jornada inaugural houve lugar também a desfechos mais ou menos expectáveis, como foram a vitória do Torres Novas sobre o recente campeão da II Divisão Distrital, a U. Abrantina (2-0), e do Moçarriense, na recepção ao At. Ouriense, neste caso com os recém-promovidos a ganhar aos despromovidos do Nacional na época finda por 1-0.

União – Na estreia, depois do pesado desaire sofrido na Taça de Portugal – de que, a propósito, se viu entretanto definitivamente arredado, dado não ter sido bafejado pela fortuna no sorteio de repescagem para a 2.ª eliminatória, contrariamente ao sucedido com o Amiense –, o União de Tomar, bastante desfalcado, por lesões e jogadores que, por questões burocráticas, não foi ainda possível inscrever, não conseguiu contrariar o favoritismo do Mação, que, actuando no seu terreno, e fazendo jus ao potencial que denota, venceu por 2-1. Numa partida cedo marcada por duas expulsões (uma para cada lado), os maçaenses rapidamente se colocaram em vantagem, apontando o tento inaugural desta edição do campeonato, ao qual os tomarenses ainda ripostariam, com o melhor marcador da época anterior, Pelé, a fazer o “gosto ao pé”, na conversão de uma grande penalidade, ainda antes do intervalo. Contudo, na metade complementar, ao segundo golo dos visitados, já os unionistas não teriam possibilidade de responder, não evitando assim a primeira derrota.

CNS – No Campeonato Nacional de Seniores, já na sua 3.ª jornada, as equipas representativas do Distrito, Alcanenense e Coruchense, integradas, respectivamente, nas Séries F e G, começam desde logo a denotar algumas dificuldades para se “aguentar no balanço” da exigência competitiva de uma competição de índole nacional, ambas derrotadas nesta ronda: a formação de Alcanena, visitada por um dos líderes, U. Leiria (que, a par do Caldas, soma três vitórias), perdendo por 0-2, mantém os 3 pontos que a colocam, para já, no grupo do 5.º ao 8.º classificados; enquanto o conjunto de Coruche, desfeiteado, também em casa, pelo Sintrense (1-2) acumula já três desaires, sendo consequentemente a “lanterna vermelha” (10.º da sua série). Recorde-se que apenas os dois primeiros de cada série se apuram para a fase final, de disputa da promoção à II Liga, enquanto os restantes oito clubes disputarão, na segunda fase, a permanência no Nacional.

Antevisão – Na próxima ronda – num calendário que, dado o equilíbrio de forças, promete entusiasmantes confrontos semana a semana – os jogos de maior cartaz serão o Fazendense-Riachense, Empregados do Comércio-Mação e Fátima-U. Almeirim, começando eventualmente a dar algumas pistas adicionais sobre o que poderá vir a ser o desempenho de cada equipa. Por seu lado, o U. Tomar, recebendo o Moçarriense, espera somar os seus primeiros três pontos…

(Artigo publicado no jornal “O Templário”, de 17 de Setembro de 2015)

Entry filed under: U. Tomar. Tags: .

«Jovem de mobilidade reduzida propõe-se nadar 13 quilómetros entre Rio Fundeiro e Bairrada» Campeonato Distrital Futebol – I Divisão – 2ª Jornada

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

Trackback this post  |  Subscribe to the comments via RSS Feed


Autor – Contacto

Destaques

União de Tomar - Recolha de dados históricos

Calendário

Setembro 2015
M T W T F S S
« Ago   Out »
 123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
282930  

Arquivos

Categorias


%d bloggers like this: