O Pulsar do Campeonato – 26.ª jornada

Maio 3, 2015 at 11:00 am Deixe um comentário

Pulsar - 26

(“O Templário”, 30.04.2015)

Com os dois primeiros lugares já entregues, subsistiam por decidir, na derradeira ronda do Campeonato Distrital da I Divisão da Associação de Futebol de Santarém, o 3.º lugar, assim como o escalonamento das equipas ainda em luta pela manutenção, objectivos distintos que se cruzavam directamente em Santarém, no desafio entre Empregados do Comércio e Pontével.

De facto, tal como na época transacta, Benavente e Pontével voltavam a ver-se envolvidos, no último jogo da competição, nessa indesejável disputa para evitar a descida ao escalão secundário. Depois de uma muito boa recta final, com três vitórias sucessivas (sucedendo a um ciclo de seis desaires), o Benavente acabaria por vir a ser surpreendido, perdendo, na última jornada, no “derby” municipal, frente ao já despromovido Barrosense (1-0), com a turma da Barrosa a arrastar assim o clube da sede do município também para a II Divisão. Isto porque, por um lado, o Pontével, batalhando até ao fim, arrancou um eventualmente determinante empate (3-3) em Santarém; e, por outro, porque se confirmou neste fim-de-semana, que serão, pelo menos, duas as equipas do Distrito a despromover do Campeonato Nacional de Seniores.

Precisamente, tal desfecho (igualdade dos Empregados do Comércio na recepção ao Pontével) viria a ter um elevado custo para os escalabitanos, que, após a excelente temporada realizada (em que lideraram durante largo tempo, tendo inclusivamente chegado a dispor da possibilidade de, a somente quatro jornadas do fim, voltar a assumir o comando), acabaram por ser ingloriamente penalizados com a queda até ao 6.º lugar, assim se vendo ultrapassados, no último dia de prova, por nada menos de três concorrentes! O culminar de um final de época já em esforço, sem conseguir vencer nas últimas seis jornadas do campeonato…

Assim, o Fazendense, com uma impressiva goleada, por 8-0, sobre… a outra equipa de Santarém, o União, viria a arrebatar o 3.º posto, com um ponto de vantagem sobre o Torres Novas (vencedor na Chamusca, por 3-2) e dois pontos a mais que Mação (também vitorioso, pela mesma marca, face a um já tranquilo Rio Maior) e Empregados do Comércio.

Em relação aos dois primeiros classificados, o Campeão Coruchense não alcançou melhor que o empate a um golo no Cartaxo, enquanto o vice-campeão, União de Tomar – curiosamente encerrando a competição com a sua melhor série da temporada, à semelhança do ano anterior – somou quarto triunfo consecutivo, ganhando em Amiais de Baixo, ao Amiense (clube que disputará com o grupo de Coruche, na próxima sexta-feira, a final da Taça do Ribatejo), por 1-0, com mais um golo de Pelé, a somar 24 tentos, confirmando-se como melhor marcador da prova.

Nas contas finais do campeonato, cinco pontos a separar os dois primeiros classificados; a lógica fria dos números indica que teria bastado ao União de Tomar ganhar em casa ao Coruchense, para se sagrar Campeão… ou, noutra perspectiva, mais factual, enquanto os unionistas somaram 55 pontos nos 24 desafios com os restantes 12 concorrentes, o grupo do Sorraia “apenas” obteve 54. Continuando ainda nos números: a turma de Coruche (com o melhor ataque e a segunda melhor defesa) realizou excelente segunda volta, somando 33 pontos aos 27 obtidos na primeira metade; o União de Tomar (segundo melhor ataque) foi a equipa mais “regular”, com os parciais de 28 (na primeira volta) e 27 pontos (segundo melhor desempenho na segunda metade, a par do Mação).

Num balanço geral, comparativo face à época precedente, o Coruchense subiu do 2.º ao 1.º lugar; tendo o União de Tomar registado a mais significativa progressão, do 6.º para o 2.º posto; o Fazendense melhorou também (de 4.º para 3.º), precisamente por troca directa com o Torres Novas, enquanto o Mação subiu de 7.º para 5.º, tendo os Empregados do Comércio – que tanto prometeram durante período tão alargado da prova – acabado por melhorar também apenas duas posições (de 8.º para 6.º), com o Cartaxo a seguir-lhes de imediato as pisadas (de 9.º para 7.º). Em qualquer dos casos, uma notável estabilidade a nível das equipas que ocuparam os lugares cimeiros nos dois últimos campeonatos.

Ao invés, a principal baixa foi a do Amiense (de 5.º para 8.º), tendo o Pontével repetido o 10.º posto do ano anterior, com o Benavente a passar de 12.º para 11.º (ainda assim insuficiente para evitar a descida), também por troca directa com o U. Chamusca. Entre os três clubes promovidos, destaque para o Campeão da II Divisão Distrital do ano anterior, Rio Maior, a obter o 9.º posto, sendo o único a garantir a manutenção; as outras duas equipas, Barrosense e U. Santarém, que se quedaram nas duas últimas posições da tabela (substituindo Assentis e U. Abrantina), tiraram “bilhete de ida-e-volta”, regressando assim ao escalão secundário.

Quem parece estar de regresso ao escalão principal é precisamente a formação de Abrantes, vencedora na recepção ao Moçarriense (2-1), mantendo o 2.º posto, assim como o líder U. Almeirim, que foi ganhar a Assentis pela mesma marca, e, também o Pego (3.º classificado), batendo o Glória do Ribatejo por 4-1. A quatro jornadas do termo desta fase de apuramento de Campeão, os três primeiros dispõem de importante vantagem sobre o Assentis, respectivamente nove, oito e sete pontos, o que indicia que poderão estar encontradas as três equipas a promover à I Divisão Distrital… a não ser que o Assentis conseguisse repetir a extraordinária recuperação que realizou na primeira fase do campeonato; só que, agora, para além de começar a escassear drasticamente o tempo para tal recuperação, o grau de dificuldade é deveras acrescido.

Por fim, no Campeonato Nacional de Seniores, também com quatro rondas ainda por disputar na sua segunda fase (apenas três jogos, no caso do At. Ouriense), a par do empate do Alcanenense na recepção ao líder U. Leiria (3-3), o pesado desaire caseiro sofrido pela formação de Ourém face ao Sertanense (2-6), não tendo ainda sentenciado matematicamente a sua despromoção, confirma, desde já – sendo o Fátima o 6.º classificado, a nove pontos –, que serão, pelo menos, duas as equipas a regressar ao Distrital (contando com o desistente Riachense); o destino do Fátima (nesta altura em posição de disputa do “play-off”) fica agora de “mãos dadas” com o do Pontével, dependente da manutenção dos fatimenses no Nacional.

(Artigo publicado no jornal “O Templário”, de 30 de Abril de 2015)

Anúncios

Entry filed under: U. Tomar.

Campeonato Nacional Hóquei em Patins – II Divisão (Zona Sul) – 27ª Jornada Campeonato Distrital Futebol – II Divisão – 7ª Jornada (Fase Final)

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

Trackback this post  |  Subscribe to the comments via RSS Feed


Autor – Contacto

Destaques

União de Tomar - Recolha de dados históricos

Calendário

Maio 2015
S T Q Q S S D
« Abr   Jun »
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031

Arquivos

Categorias


%d bloggers like this: