U. Tomar – Centenário (XIV)

Janeiro 5, 2014 at 11:00 am Deixe um comentário

Centenario - XIV

(“O Templário”, 02.01.2014)

Mas a época de 1964-65 ainda não chegara ao seu termo. Alcançado enfim o tão ansiado objectivo, de promoção à II Divisão Nacional, o União de Tomar defrontaria, nas ½ Finais do Campeonato da III Divisão, a formação do Casa Pia, cotada como principal candidata ao título, prestigiada com a sua invencibilidade no decurso da temporada, ao longo de um total de mais de trinta jogos, tendo-se sagrado Campeã Distrital de Lisboa, e vencido a sua série da III Divisão.

A 4 de Julho, em mais um jogo épico, no Campo da Mata, nas Caldas da Rainha, depois de ter chegado ao intervalo em desvantagem de dois golos, o União conseguiria, por via de três tentos, marcados por Ernesto, Pedro Silva e Morado (este a dois minutos do termo da partida, quando já se aguardava o prolongamento), vencendo por 3-2, garantir a presença na prestigiante Final do Campeonato Nacional da III Divisão.

A 11 de Julho de 1965, o Estádio do Calhabé, em Coimbra, recebia esta Final, em que o União de Tomar marcava presença inédita no seu historial, defrontando a turma da Ovarense – já aureolada com o título conquistado em 1949-50 –, conquistando, após renhida disputa, decidida apenas no prolongamento, com triunfo dos rubro-negros por 3-1, o título de Campeão Nacional:

«No Estádio Municipal de Coimbra, acabou no passado domingo a maratona do futebol nacional e felizmente para todos nós, tomarenses, ela acabou em beleza e em triunfo, pois confirmou aquilo que todos nós sabíamos: (e que nos perdoem todos os adversários do União), o União Futebol Comércio e Indústria de Tomar é e foi ao longo de 37 jogos, a melhor equipa do País no escalão da 3.ª Divisão. […]

Foram precisos 120 minutos, para que o União trouxesse para Tomar o título de campeão: entretanto bastaram os primeiros 20 para que ficasse demonstrado o valor da nossa equipa. Durante este período evoluiu no relvado de Coimbra uma equipa que deixou entusiasmado o público e os críticos mais severos. […]

Marcou o União um único golo neste período, mas a verdade é que o resultado podia ter sido elevado para mais dois golos que não surpreenderia ninguém. Um deslize da defesa do União deu aso a que a Ovarense crescesse e foram só cinco minutos que duraram este ascendente e suficiente para que empatassem a partida. […]

E foi neste sistema que se jogou quase toda a segunda parte. O União a jogar mais futebol e a criar mais perigo, o Ovarense a lutar com muita energia, contra atacando aqui e ali. […]

Quando se chegou ao prolongamento, e para aqueles que conhecem bem o valor do União, poucas dúvidas havia quanto ao vencedor. […]

Veio uma jogada perfeita e Totoi com uma descontracção absoluta anichou a bola nas redes. Tentaram responder os rapazes do Ovarense, mas a verdade é que lhes faltava aquilo que o União tinha: frescura física. E veio mais uma jogada de Ernesto que culminou com um remate dando um golo monumental (o mais belo do jogo).»(1)

____________

(1) Cf. “Cidade de Tomar”, 18 de Julho de 1965 – Crónica de Mecas
Anúncios

Entry filed under: U. Tomar.

Campeonato Nacional Hóquei em Patins – I Divisão – 10ª Jornada Taça Ribatejo – Fase Grupos – 3ª Jornada

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

Trackback this post  |  Subscribe to the comments via RSS Feed


Autor – Contacto

Destaques

União de Tomar - Recolha de dados históricos

Calendário

Janeiro 2014
S T Q Q S S D
« Dez   Fev »
 12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
2728293031  

Arquivos

Categorias


%d bloggers like this: